pilares e receitas

Setembro 18, 2015 — Deixe um comentário

no desafio que é, agora, viver sem poiso fixo, procuro estar ainda mais atenta e em sintonia com a dinâmica-equilíbrio que o meu corpo pede.  em tempos de mudança testamos as fragilidades e fortalezas do corpo, a sua capacidade de reagir e se adaptar. re-conhecemos ou descobrirmos pontos  frágeis – de uma constituição base ou de uma condição temporária. 

casa tende a ser uma das variantes dadas como certas, tal como se não fosse variável. e, junto com o romantismo de uma vida nómada, há um sem fim de desafios que quem assim vive vai descobrindo como contornar. 

os dois pilares da minha saúde são alimentação e movimento – qualidade e quantidade – e é aqui que tenho que aprimorar truques para, dada a minha constituição algo frágil, me manter saudável. exercício, alongamento e descanso + procurar com astúcia em cada menu os ingredientes que patrocinam a qualidade energética que preciso. 

é nestas fases que a minha cozinha medicina torna-se ainda mais visível em mezinhas e ingredientes de sonoridades como kuzu, kombu, tempeh, umeboshi, …
é nestas fases que aprimoro a destreza de seguir inventando doces e mimos.
é nestas fases que calçar os ténis para ir correr soa-me uma das mais gloriosas batalhas que qualquer herói poderia encetar.
é nestas fases que ligação à internet deixa de ser constante, e as partilhas programam-se ou seguem de enxurrada…

seguem algumas das receitas que fazem parte das ementas actuais, categoria mezinha ou mimo, que seguirei partilhando na medida em que a máquina fotográfica possa estar acessível e a internet assim patrocinar.

* flocos de milho com coco e arandos em leite de arroz
* pasta doce de amêndoa
* umeshokuzu
* sopa de miso, com cogumelos e coentros
* trigo sarraceno
* cenoura crua com limão e sal dos himalaias

* nutela todo-o-terreno
* chá de daikon e kombu


* flocos de milho com coco e arandos em leite de arroz
[ peq. almoço ]

flocos de milho, sem açúcar
coco desidratado
arandos desidratados
leite de arroz

colocar os flocos de milho, o coco e os arados numa taça.
servir com leite de arroz.

* pasta doce de amêndoa, on the go
[ peq. almoço ]

pasta de amêndoa
mel de flores
pasta de ameixa umeboshi

mergulhar um dedo em cada uma das pastas. 
meter os dedos à boca.  
…. ou usar uma colher ou faca e barrar, civilizadamente, no pão :)

*  umeshokuzu
[ óptima mezinha para o sistema imunitário, para fortalecer e promover o sistema digestivo e para restaurar os níveis de energia. ]

1 c. de sobremesa de kuzu
1 chávena de água
1/2 c. chá de ameixa umeboshi
1 c. chá de tamari (molho de soja) 

dissolver uma colher de sopa de kuzu numa pequena quantidade de água, preferencialmente usando os dedos para garantir a melhor dissolução possível.
colocar num tacho pequeno. adicionar uma chávena de água, adicionar a pasta de umeboshi e cozinhar em lume médio, mexendo sempre por aproximadamente 4 a 5 minutos. quando estiver translúcido e homogéneo juntar o tamari e deixar cozinhar por mais um minuto. tomar quente.

* sopa de miso, com cogumelos e coentros
[ sopa medicinal ]

1 cebola
¼ de abóbora hokkaido
8 cogumelos Paris
1 tira de alga kombu
1 colher de sobremesa de miso por cada taça de sopa
coentros

demolhar a alga kombu por 10 minutos.
descascar e cortar as cebolas em meias luas finas, colocar numa panela larga cobertas com água e levar ao lume médio/alto. deixar ao lume sem tampa até que as cebolas fiquem transparentes, tendo atenção para que tenham sempre água.
lavar e descascar a abóbora (se conseguir  biológica, em vez de os descascar lave com uma escova de vegetais). cortar em pedaços de aproximadamente 5 cm.
limpar e cortar os cogumelos em lâminas.
quando as cebolas já estiverem transparentes juntar a alga kombu, os cogumelos e a abóbora, e acrescentar água (aproximadamente 3 dedos de altura sobre o nível dos vegetais).
tapar a panela e deixar em lume mínimo por 15 minutos, ou até confirmar que os vegetais já estão cozinhados.

numa taça desfazer o miso numa pequena porção de água, de forma a que a pasta fique o mais uniforme possível. lembrar que o miso necessita de ir ao calor para acordar mas não pode ferver! 
acrescentar a pasta de miso já desfeita à sopa, ainda em lume mínimo e atentamente aguardar ver umas pequenas bolinhas surgirem como se quisessem começar a ferver (se necessário subir um pouco a chama).

desligar e está pronta a servir!
sirva com coentros, a gosto.

* trigo sarraceno
[ cereal, eficaz para drenar a retenção de líquidos ]

1 chávena de trigo sarraceno
2 dentes de alho
1,5 chávena de água
1 colher de chá de sal marinho não refinado

deixar o trigo sarraceno de molho por aproximadamente 2h (não é obrigatório, facilita a abertura da camada exterior do grão de modo a que possamos absorver melhor os seus nutrientes, e acelera o processo de cozedura).
escorrer bem o trigo.
descascar os alhos, abrir ao meio e remover o espigão central. partir em tiras finas.
aquecer uma panela larga e baixa no lume. juntar os grãos de trigo e o alho para tostar na panela bem quente, em lume médio, durante aproximadamente 5 minutos e mexendo com frequência. juntar 1,5 chávenas de água e uma colher de chá de sal.
tapar e deixar cozinhar em lume mínimo por 15 minutos.

* cenoura crua com limão e sal dos himalaias
[ porque ainda está quente o sol ;]

3 cenouras
1 limão
1 colher de chá de sal dos himalaias 

ralar 3 cenouras (usar um descascador para lascas mais largas e/ou caso não tenha um ralador à mão)
espremer e verter o sumo de limão
juntar o sal e misturar.

* nutela todo-o-terreno
[ mimos forever ]

pasta de avelã
geleia de arroz
cacau cru em pó
uma pitada de vinagre de ameixa umeboshi

misturar a gosto, juntando um pouco de água para uma textura mais cremosa.

* chá de daikon e kombu
[ mezinha-bebida diurética, ajuda a dissolver depósitos de gordura no corpo, bom para relaxar. ]

1 colher de sopa de daikon seco
1 tira de alga kombu
4 a 5 chávenas de água
1 colher de sobremesa de tamari (molho de soja)

demolhar por aproximadamente 10 minutos o daikon e a kombu. levar ao lume médio até levantar fervura. deixar em lume mínimo por aproximadamente 20 minutos. 
na taça onde vai servir colocar o tamari e verter o líquido quente. tomar quente.

Sem Comentários

Be the first to start the conversation!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s