Archives For desporto

como me hice, no volvería a hacerme. tal vez volvería a hacerme como me deshago. *
antonio porchia

a pausa veraneia de conteúdos justifica-se mais pelo súbito desaparecimento de ferramentas de trabalho do que pelo sazonal aproveitamento do calor da época.
têm sido longas as noites sem dormir, rápidos os dias de afazeres. em poucos meses a vida segue parecendo que me atravessa por anos.

partilho algumas fotos, que germinam a imensa vontade de recriar-me na expressão de uma criatividade que late. ainda não sei como a commemorare ressuscitará. talvez, como diz o poeta acima, à boleia de alguma inspiração do como a isabel se desfaz.

( fotos editadas em modo * magic portable paraphernalia *, espremendo a flexibilidade e paciência, agradecendo a versatilidade das modernices )

IMG_1408.JPG

IMG_1475.JPG

IMG_1476.JPG

IMG_1674-0.JPG

IMG_1665.JPG

IMG_1664.JPG

IMG_1666.JPG

IMG_1478.JPG

IMG_1669.JPG

IMG_1668.JPG

IMG_1667.JPG

IMG_1666.JPG

IMG_1662.JPG

IMG_1661.JPG

IMG_1663.JPG

IMG_1670.JPG

IMG_1671.JPG

IMG_1672.JPG

IMG_1673.JPG

* bells

Outubro 25, 2013 — Deixe um comentário

image

tenho a honra de fotografar corpos. o privilégio de os reconhecer belos, expressivos, autênticos. as fotografias deste artigo são sessões não planeadas, que ocorrem na magia do espaço contíguo ao que agora também habito.

aproveito-as para vos apresentar a Bells & Springs, uma casa onde se cuida de corpos, onde se honra a sua funcionalidade, enaltecendo o serviço que o corpo presta à expressão de quem somos.
as artes ensinadas estão aos cuidados de mestres que se revelam na presença e atenção a quem os procura, disponibilizando o seu compromisso em dar o melhor de si para descobrir e fortalecer o melhor em cada aluno.

prestes a entrar num fim de semana profundamente dedicado à inerente sabedoria dos corpos, deixo-vos a inspiração de nos comprometermos com o respeito e sintonização para o que o corpo nos pede: seja movimento ou quietude, aceleração ou abrandamento. o que te faz sentir mais vivo, o que te faz tocar a tua campainha, a tua bell?

boas respirações ;)

~

contemplar a galeria de fotos dos últimos meses é simultaneamente inspirador e desafiante.
onde encontro o fio condutor entre a panóplia de temas que abraço?

recordo partilhas em que encontro generosas respostas:
~> que reconhecem o meu olhar, presença e visão do mundo em todas as sessões que partilho;
~> que ficam emocionadas ao ver as suas fotos, e encontrar novos pontos de vista sobre elas mesmas;
~> que os momentos que passamos juntos, em que são protagonistas e especiais convidadas de momentos em que se celebram, acrescentam-lhes uma visão mais confiante de si mesmas;
~> que é bom recordar que merecem atenção;
~> que a inspiração de encontrar novos locais, descobrir novos pontos de vista sobre locais conhecidos, os faz sintonizar com a magia que anda por toda a parte;
~> …

claro que fico cheia de um sorriso e com vontade de seguir acreditando nos meus sonhos de usar estas lentes com propósitos mais e mais inspiradores. é bom inspirar os outros e, confesso, é ainda mais saboroso confiar e entregar-me à possibilidade de me inspirar a mim mesma.
bem-hajam :)
antes de seguir para outras paragens, finalizando entregas de trabalhos e pedidos de orçamentos, repesco algumas sessões para vos deixar por aqui.

top-01

momentos de celebração em círculos mágicos, sublinham-me o desafio de estar presente e usar as lentes numa distância o mais generosa possível.
têm sido muitos os círculos, femininos e mistos, inspiradores e desafiantes. neste escolhemos honrar – com dança, música e poemas – a casa Terra, esta nave cósmica que onde viajamos.

.


e
ste outro círculo que tenho tido o privilégio de acompanhar é o do grupo de alunos que tem percorrido o caminho da primeira edição do curso de transição interior. estas fotos são da sessão de movimento que para eles preparei, e de um passeio informal que desfrutamos na serra de Sintra.
na sessão de movimento fomos re~descobrindo *como o nosso corpo nos serve e nos inspira, em cada escolha a que nos conduz por capacitação ou limitação; *como as células armazenam memórias, e *como criativamente as podemos comunicar (em formas, palavras, expressões e/ou movimentos) transmutando-as – em água transpirada, em água lagrimejada de choro e riso. vale tudo : ) [ no futuro divulgarei também as sessões que posso oferecer, a grupos que desejem desfrutar destas visões/ emoções/ descobertas ]
.

.

os alunos têm partilhado como sentem que a corajosa escolha de se conhecerem em profundidade os permite alcançar uma maior liberdade, uma maior autonomia e capacidade de abraçar a vida. se quiserem saber mais sobre o curso, visitem o site do despertutor. está a ser preparado o calendário para a próxima turma, e um muito pedido nível de aprofundamento, aka nível dois.

IMG_0010

top-02

fotos de algumas sessões familiares, talvez mais convencionais, em que crianças e adultos desfrutam de passeios em família.
é bem curioso o trabalho de coordenar as expectativas dos pais, os desejos e necessidades dos filhos, os sorrisos desencontrados, as fomes inesperadas.
.

.

a escolha das fotografias a divulgar por vezes requere bastante sensibilidade e algumas das sessões nunca chegam ao blog, já que alguns dos modelos preferem não ser identificados na sua exposição e, algumas das sessões que faço são extremamente íntimas. na minha opinião o grau de intimidade amplia a beleza de cada uma das fotos, e seja talvez nesta relação que as maiores revelações acontecem.
em todo o caso, cada sessão dá-me este privilégio de poder celebrar a imprevisibilidade da vida: sessões em casa, com nódoas e pijamas, são as minhas favoritas.

.

e seguindo o tema da família, o verão e regresso de familiares emigrantes pede-me que nos juntemos e celebremos o potencial de estarmos juntos.
de nos inspiramos com o que recebemos dos nossos passados, criando e reforçando laços. gostava mesmo de poder viajar sem combustível, de forma rápida, para num instante ir ali e abraçar braços que tanta saudade sinto…

Screen Shot 2013-07-30 at 4.40.26 PM copy-impDSC_4281*16072013-impScreen Shot 2013-07-30 at 4.41.08 PM-imp

.

verdade que família não é só de sangue, mas também acho inspirador a ”com incidência” da escolha de nascermos neste e não em outro berço, com esta e não outra história partilhada. às vezes mais próxima e colaborativa, outras vezes pedindo distância e tempo. estou a recolher fotos antigas, quero manter vivas histórias que – louvando o imaginário e sonho que alimentaram na minha infância – possam inspirar e informar o meu caminho de descoberta com a descendência crescente. recuperar fotos antigas requere muita paciência e provoca muitos sorrisos!

top-02-03

.
termino com algumas fotos de uma aldeia dita cheia de vida, e que neste dia de passeio aparentava estar às moscas. não tarda muito lá estarei novamente, em braços amigos, prontinha a descobrir a famosa movida de uma terra pequena e especial: Barão de São João.
.

.

o sul promete nos acolher com pompa e circunstância : )
espero vir com suficientes fotos para partilhas que inspirem, e se chegaram até ao final desta lenga-lenga, andarem pelo sul nas próximas semanas, e sentirem em vós o anseio de receber uma massagem fotográfica, tentem-me com um e-mail.

quem sabe nos podemos deleitar assim, em mútua inspiração.

.

‘granda onda’

Fevereiro 5, 2013 — Deixe um comentário

enquanto espécie do sexo feminino, tenho alguma dificuldade em separar actividades.
regra geral estou de avental, rapador e flash. ou ainda, ‘traje de baile’, suor e tripé. ela é também enxada, sementes e zoom. e a sequência podia continuar…

quando há largos anos a querida tia M. me contava o que o Tó Mané fazia, eu revirara a imaginação e via-o agarrado a uma prancha, máquina numa das mãos, varinha mágica noutra. já me parecia complicado o suficiente surfar, quanto mais fotografar ao mesmo tempo!
foi preciso esta grande onda para eu encontrar o trabalho do primo Tó Mané, na famosa foto que já deu volta ao mundo!
PARABÉNS primo!

e aqui venho para semear votos de longa vida ao sabermos aproveitar o que de melhor temos, ao acreditar que os sonhos acontecem e que até podemos inspirar os outros, mas sempre se primeiro nos acreditarmos de tal. oiço ainda o primo falar da importância do trabalho de equipe, e de sentir que a foto nasceu intenção e virou acontecer.

Corre mundo a fotografia da onda gigante da Nazaré – País – Notícias – RTP.

rodinhas

Agosto 28, 2012 — Deixe um comentário

.
[ ainda não foi desta que uma estruturada sessão aconteceu… seguimos aproveitando as oportunidades, procurando os melhores locais disponíveis entre enquadramentos estranhos e luzes improváveis. gostei deste momento, embora diga o entendido que o truque ainda não está como ele o quer… ;]
.

a quatro rodas

Maio 18, 2012 — 2 comentários

há vários meses que, juntamente com o artista nestas fotos captado, tentamos agendar uma sessão para fotografar os progressos na prática do ‘executar figuras numa prancha munida de quatro rodas, conservando-se inteiramente de pé’.
esta sessão foi realizada em 2009 e estamos certos que estamos os dois mais capazes de produzir capturas mais arrojadas!

enquanto o bom tempo e a disponibilidade das partes ainda não se conseguiram reunir, para além dos preparos de inspiração própria, vou recebendo estímulos como este delicioso vídeo:

ainda se lembram de brincar com a sombra?
inseparável, dá jeito aprender a tê-la como a nossa melhor companhia… : )

~~ lazysail ~~

Abril 13, 2012 — Deixe um comentário

e quase na sequência do artigo anterior, em que a mana Z. deu corpo tecido à imaginação dos seus cosidos, neste apresento a materialização de outro sonho, mais expansivo e volumoso.

a Lazysail promete proporcionar-vos momentos inesquecíveis abordo de um catamaran, em programas náuticos animados – em grau de aventura ao gosto do freguês. os programas são todos apetecíveis e, falando por experiência própria, o difícil é ter que desembarcar. por mim, era uma plaquinha cativa de Reservado na porta de um dos quartos!

para quem nunca esteve abordo de um catamaran pode ser uma surpresa o espaço disponível para vivência e circulação, e a estabilidade que, de olhos fechados, por vezes faz esquecer que estamos a flutuar sobre águas.

quem já viveu em constante viagem sabe bem que cada requinte que o Lazysail apresenta são autênticos luxos para o viajante – acrescentando conforto ao lazer.
juntem-lhe o sol e as águas azuis cristalinas e serão umas férias inesquecíveis.
ah, juntem-lhe o skipper, e serão as férias perfeitas : )

ao Pedro, o sonhador, retiro-lhe mais uma vez o chapéu por ser exemplo vivo do acreditar e lutar pelo seu sonho. desfruto imenso de o ver sorrir feliz.

as fotos que vos apresento foram feitas em Agosto de 2011, numa animada semana abordo com amigos-família. é verdade que o mais importante é o espírito com que se celebra, mas também é verdade que – se se puder celebrar assim – vale por muitas cerejas em cima do bolo.

mais informações sobre a Lazysail, consultem o site: www.lazysail.net e/ou a página do facebook