Archives For love

a way of feeling

Fevereiro 25, 2013 — Deixe um comentário


compendium_8-580x580

no dia em que me agarrei às teclas para escrever o artigo sobre a edição do Help Portrait de 2012 recebi a notificação de uma chamada por parte da organização internacional estimulando a colaboração por parte dos participantes de cada evento, a partilharem a sua visão/história.
o que partilho aqui convosco é a versão portuguesa do texto que escrevi em inglês, submetido juntamente com algumas das fotos de ”bastidores” que fiz nesse dia. [ galeria abaixo ]

se se sentirem inspirados a participar em próximas edições, acedam à página oficial dos grupos: http://community.help-portrait.com ou à página de Facebook do evento em Lisboa: www.facebook.com/HelpPortraitLisboa

DSC_4962*08122012

O Help-Portrait de Dezembro de 2012 não foi a primeira edição em que participei como voluntária e, apesar de ter sido um tremendo sucesso, não me atrevo a dizer que tenha sido um evento ainda mais rico que a edição anterior. Com gordos sublinhados opino que foi uma magnífica edição, rica como a anterior, rica como as que venham a ocorrer. Cada uma com as suas pérolas e preciosas vivências, enriquecidos nós pela cumulativa experiência.

Como voluntária nesta equipe sinto a honra de fazer parte de um sonho colectivo, um sonho que se torna real pela congregação de energia plural, um sonho que oferece inspiração a quem dá e quem recebe.  Como em cada acto de Amor, é difícil etiquetar quem é o dador ou o receptor. A interacção é sempre dinâmica, alimentando a oportunidade de dar espaço e luz a cada actor desta história.

Contando com a mágica, dedicada e atenta preparação do coordenador do evento em Portugal, esta edição do Help-Portrait proporcionou sorrisos a centenas de rostos. Bem cedo pela fresca manhã já era visível a adrenalina das ansiadas respostas a um sem fim de expectativas: equipas de futebol, uma banda rap, famílias, amigos – desfilando em gamas de idades desde bebés a anciãos.

O evento ocorreu no Centro Social da Musgueira, o centro fundado no início dos anos 60 por voluntários inspirados em prestar ajuda às famílias mais carenciadas e/ou problemáticas do bairro – marcado por um frágil ambiente social nos arredores de Lisboa. As suas acções variam num largo leque de áreas, visando ”a promoção social e humana, a capacitação, o desenvolvimento, a aprendizagem em conjunto, a integração.”

Desde a preparação do espaço à entrega das fotografias emolduradas, testemunhamos momentos de ansiedade, dedicação, euforia, desejo, entusiasmo, brincadeira, generosidade, tensão, vaidade, cooperação e competição. Quando todo o tipo de emoções sobe ao palco, é possível presenciarmos a verdade que cada vida encena. Cada fotografia torna-se realisticamente viva: representam histórias e actores, apresentados e representados por pessoas reais, desafiadas pelas aventuras da vida quotidiana.

Pude ver e sentir nos sorrisos emoldurados o luminescente poder do encanto pela sua imagem capturada; o orgulho de partilharem com outros a beleza que irradiam – singular e colectivamente; o sentimento de serem merecedores de mimos e cuidados, de receberem luz e atenção; a inspiração de reconectar com o potencial de irradiar todos os dias, partilhando o melhor sorriso e animando outros com o seu entusiasmo.

Há qualquer coisa no olhar para uma magnífica fotografia de um ídolo e sonhar ser tão belas(os) quanto… E depois, há aquela outra coisa que é olhar para o magnífico que é o teu ser posando para essa foto, recordando-te que bela(o) já o és. Recordando: trazendo vida a essa memória para a tua experiência quotidiana.

Entusiasmada com o potencial deste evento e com os efeitos que gera, vejo-nos equipa já em alinhamento para a contínua melhoria que podemos aportar a cada edição. Sinto-me agradecida por todos os sonhadores e realizadores que tornam estes sonhos possíveis de ser vividos, dadores e receptores! 

.

e sobre o evento de 2012: aqui.

o mês de dezembro trouxe um infindável número de eventos, atribulando e entupindo a capacidade de os partilhar em momento mais próximo aos acontecimentos per se. arrumo dezembro, giro a actividade de janeiro, preparo fevereiro, e o tempo segue indiferente a qualquer pedido de abrandamento…

neste artigo, partilho convosco algumas fotos de mais momentos que fazem memórias ricas, sorrindo ao reencontrar as lembranças no coração. são histórias com fios de ouro, que se multiplicam sempre que a reunião se proporciona ocorrer.

no próximo artigo partilharei imagens, palavras e sentires sobre o tão belo evento Help-Portrait – sobre o qual já vos falei em anteriores partilhas – este ano ainda mais produtivo.

… quanto tempo o tempo tem.
o tempo responde ao tempo que o tempo tem o tempo que o tempo tem.

perfaz-se mais um ciclo de tempo de uma despedida sentida. um ciclo que me parece tão grande e afinal, contas feitas, são apenas os anos que se podem contar com os dedos de uma mão.

as memórias visuais podiam ser muitas mais, não ocuparia espaço desapropriado a possibilidade de agora aceder a retratadas lembranças de tamanha comunhão. apanho-me em reconhecimento do potencial de me sentir mais rica por ter valorizado – em tempo devido – a oportunidade de registar em imagens descobertas imensuráveis. não creio que por isso que se faça menos presente, e em gratidão celebro o tanto que em mim ficou.

mommy

esta fotografia rabiscada num telemóvel, parecendo um desajeitado disparo aleatório, pela sua singularidade ganha uma proporção totalmente inesperada. afinal, será a proeza do balanço de cores, da proporção do espaço negativo/positivo, a fidelidade do número de píxeis e demais especificidades técnicas que farão uma fotografia ter valor? ou será o momento que ela capta, a mensagem que ela inspira, as memórias que ela acorda?

o caos do quotidiano é real_mente desafiante; a arte de construirmos sobre o que temos, de eleger o nosso único e singular ponto de vista, simplesmente retratando ou acrescentando significado pela chamada ao potencial que lhe atribuímos: cada um de nós com a sua incorporada lente. qualquer aparelho é apenas uma extensão dos instrumentos que já carregamos.

e continuando a expressar o que em mim sinto saber, diria ainda que o valor é apenas aquele que soubermos/quisermos atribuir: ao tempo, aos momentos, às memórias, às coisas, às pessoas, ao que temos e/ou não temos.

que as ausências nos recordem que estamos presentes: aqui e agora. que nos despertem, relembrando-nos a ser-fazer agora o que sentimos sublinhar o nosso máximo potencial – a beleza que carregamos – commemorando esse milagre: o potencial de a cada momento nos renovarmos.

.

HELP – PORTRAIT

Novembro 28, 2012 — 3 comentários

HELP-PORTRAIT traduzido à letra poderia ser qualquer coisa como Retrato-Ajuda.
e como é que um retrato ajuda? para que pode ser útil uma fotografia? como podem fotógrafos contribuir para uma causa, fazer a diferença na vida de alguém?

o Help Portrait surgiu nos EUA, com o intuito de reunir fotógrafos um pouco por todo o mundo, dispostos a usar as suas valências em prol da sua comunidade local.
trata-se de um evento cujo objectivo não é o de tirar fotografias e sim o de OFERECER FOTOGRAFIAS – a indivíduos e/ou famílias que de outra forma não teriam acesso a esta oportunidade – agora.
pessoas que talvez nunca tenham sido fotografadas, nunca tenham sentido a adrenalina dos preparativos de uma sessão totalmente dedicada a realçar a sua beleza, que nunca tenham tido a possibilidade de abraçar uma lembrança do potencial que naquele momento expressam.

é um evento totalmente organizado por voluntários que em torno desta missão identificam comunidades-alvo e tornam este evento uma realidade. equipas compostas de fotógrafos, amantes de fotografia, maquilhadores, gentes de coração disponível a fazer destes momentos um sucesso para todas as partes.

os testumunhos das edições anteriores são inspiradores e, em histórias contadas na primeira pessoa, demonstram o valor que a iniciativa acrescenta aos indivíduos e comunidades envolvidas: voluntários e retratados.


d
a minha experiência enquanto voluntária na edição de 2011, em Lisboa no bairro da Cova da Moura, recordo o entusiasmo da descoberta em que cada uma das pessoas envolvidas vibrava. acompanhei a montagem do espaço, a recepção dos primeiros inscritos, o trabalho de bastidores das maquilhadoras e pós-produção, a curiosa tarefa de pacientemente conduzir algumas irrequietas crianças – aceleradas pelo empolgar de tanta novidade: luzes, fios, câmaras, computadores, pincéis, cremes, …
famílias inteiras que se reuniram para guardar para a posteridade a alegria de ali estarem juntas, casais jovens com os seus primeiros filhos, mães cúmplices, irmãos compinchas, meninas que sonham com o estrelato. cada fotografia realizada foi entregue, em mãos, devidamente emoldurada para a eternidade.
juntei-me à equipa organizadora de véspera e apenas pude colaborar durante as primeiras horas – nada que me impedisse de me sentir bastante bem acolhida e regressar a casa de coração cheio. as fotos deste artigo foram as que tive oportunidade de realizar, em ambiente de bastidor, enquanto por lá estive.

deixo-vos o inspirador video da nossa edição de 2011, realizado pelo Luís Leonardo:

.

e a referência para o site oficial help-portrait.com que reúne toda a informação dos eventos espalhados um pouco por todo o mundo, onde hoje encontrei mais esta pérola:

.

dia 08 de Dezembro estaremos no Centro Social da Musgueira para mais um proliferar de sorrisos : ) quem se quiser juntar à equipe deste ano, envie-me um e-mail que encaminharei o contacto para a coordenação da equipe-a-postos.

.

seria impossível esta foto ter sido captada por mim, mas, em parte, foi para mim.

uma demonstração de como é bom poder rever e recordar quem nunca esquecemos: por um lado certa que o mais importante ultrapassa uma qualquer imagem; por outro sabendo que uma imagem~lembrança também nos inspira, nos re~liga com um pedaço da infinita presença que nos mantém em conexão.

não há distância ou tempo que nos impeça de sentir.
se num dia como o de hoje o teu corpo de mim se despediu, o teu espírito em mim assim vive: nas lembranças que escolho commemorar, na centelhas tuas que escolho expressar.

pelas presenças e ausências, pelo que me recordo e pelo que não me lembro, sobretudo pela Vida que por ti me chegou: * gratitudĭne patre *

.

o dia do SIM …

Outubro 19, 2012 — Deixe um comentário

… chegou no final do mês passado, cheio de sorrisos e respingado de algumas lágrimas do transbordo da alegria emotiva. um final de tarde no guincho, florido e solarengo:

foi um privilégio fotografar esta celebração com que a Raquel e o Pedro festejaram o SIM, trocando alianças e votos de uma felicidade oficialmente reconhecida : )


desejo aos noivos que o ”assim seja” perdure – na inteireiza de dois corações que juntos seguem crescendo – inspirando e abraçando outros, encontrando em cada um a fortaleza e sabedoria para se oferecerem plenos, presentes e intencionados.
a vida é uma milagrosa aventura, duplicada na escolha da partilha com o outro.

felicidades aos molhos!

.

[ convidados, o vosso acesso é aqui: o dia ]

bella pancia : )

Maio 17, 2012 — 4 comentários

finalmente, depois do planeamento e alinhamento metereológico, tive o privilégio de estar com os criadores deste belo balão, preenchido de uma deliciosa bebé que estou desejosa por encher de beijos : )

estava um calor abafado que aguçou tonturas e suores mas, animados seguimos com os improvisos matinais. as restantes fotografias são apenas para com quem os papás escolherem partilhar, fica aqui apenas um aperitivo para abrir apetites!

DSC_7290*12052012

quem estiver interessado em registar momentos assim, pode espreitar as condições aqui, ou enviar-me um email para combinarmos qual o formato mais adequado ao pretendido.
voltarei a estar disponível no verão!
.

big in Japan

Abril 11, 2012 — 2 comentários

em breve disponibilizarei todas as fotos realizadas no Japão e retomarei a partilha de informações a que tenho tido acesso.

confesso que ando apreensiva com o que se sabe e o que não se sabe, mas especialmente com o que parece que não se quer saber.

entretanto, partilho aqui o link para o blog *presente Japão* que elaborei para partilhar a aventura: desde a recolha de fundos à missão in loco.
e deixo uma música que me embala:

• arigatou gozaimasu •